Vinho tinto um santo remédio

Há algum tempo os cientistas sabem que a casca das uvas é rica em Resveratrol e que ele está presente no, sem nenhuma graça suco de uva e no seu parente mais interessante o vinho tinto. Ao longo das últimas duas décadas vários estudos científicos têm apontado o resveratrol como substância capaz de aumentar a longevidade, ajudar no combate a tumores cancerígenos ou diminuir o efeito malévolo dos radicais livres ajudando no emagrecimento. Além, é claro, de, na forma etílica, proporcionar alguns dos mais interessantes momentos da nossa vida ao redor da boa mesa.

Para mim basta.

Infelizmente, este é um caso complicado. Ao que parece existe uma falta de pesquisas científicas com testes em humanos. Sem testes, extensivos e controlados, nenhuma destas maravilhosas propriedades pode ser considerada como definitiva. Exceto os efeitos etílicos, provocados não pelo resveratrol mas pelo bom e velho álcool.

A Popular Science pesquisou e só encontrou um estudo realizado em humanos sob o controle da comunidade científica. Ainda assim, apenas relacionado com a Ataxia de Freindenrich uma doença rara (2 em cada 100.000) de degeneração do sistema nervoso hereditária. Pesquisei também e encontrei algumas pesquisas feitas com células humanas em cultivo. Fora do corpo. Algumas até bem promissoras. Referenciei uma delas acima, quando citei os tumores cancerígenos. O artigo desta pesquisa, em inglês, pode ser baixado aqui.

Nem tudo está perdido. Ainda há o paradoxo francês.

No começo da década de 90 do século XX a baixa incidência de doenças coronarianas em franceses, apesar da dieta rica em gorduras saturadas, ficou conhecido como paradoxo francês. As melhores explicações deste fato apontam para uma combinação de vinho tinto tomado moderadamente e longas caminhadas. E, neste caso, estamos fartos de estudos. Alguns realizados ao longo de dezenas e anos, com a observação de milhares de pessoas em grupos controlados. Infelizmente, estes estudos apontam para o uso moderado de álcool. E não exclusivamente do vinho.

Mais, caramba, o vinho não tem colesterol nem gordura. Uma taça de vinho tinto, com 125ml, contém apenas 107 calorias e, pode ser que ele ajude a combater o envelhecimento, tumores cancerígenos, radicais livres e doenças cardíacas. Tá ai parado, lendo este artigo e esperando o quê. Vá tomar uma taça de vinho!

Muito a contragosto, tenho que informar que este estudo brasileiro, com os sucos de uva nacional mostrou que estes sucos possuem quantidades significativas de resveratrol. Coisa sem graça para gente abstêmia.