Quer viver mais? Consuma mais nozes

Uma pesquisa interessante, divulgada hoje pela Harvard Gazette indica que o consumo diário de diversos tipos de sementes, em inglês coletivamente chamadas de nuts, pode diminuir em até 20% suas chances de morrer.

Neste artigo vou usar o termo nozes, com licença poética para todas as sementes que podemos encaixar nesta definição, mesmo forçando um pouco o pobre idioma de Camões: amendoim, nozes, amêndoa, macadâmia, castanha do Pará, castanha de caju, pistache, pinhão e as pecans.

O trabalho foi publicado no New England Journal of Medicine indica que os consumidores destas sementes são, em média, mais magros que os não consumidores e apresentaram índices significativamente menores que os outros em vários dos males que afligem nosso tempo. Destaque-se um índice 29% menor para doenças do sistema cardiovascular e um risco 11% menor de morte provocada por câncer.

Imagem 1 de Harsha K R

O estudo foi feito por mineração de dados provenientes de dois outros trabalhos: o Nurses’ Health Study forneceu dados referentes a 76,464 mulheres entre os anos de 1980 e 2010, e o Health Professionals’ Follow-Up Study contribuiu com dados sobre 42,498 homens entre 1986 e 2010. Em ambos estudos os participantes tiveram que preencher questionários sobre seu hábitos alimentares e sua saúde.

Destaque-se que, como quase tudo em ciência, principalmente medicina, o estudo indica uma correlação, não uma causalidade.

A outra imagem que ilustra este artigo: Wikipédia